Artigo publicado pela Bióloga Luana Muritiba com base no Projeto Brotar nascentes

Publicado originalmente no site da Associação Brasileira de Agroecologia

Utilização de sistemas agroflorestais na restauração de mata ciliar em pequenas propriedades rurais em Santo Antônio de Jesus, Bahia – Projeto Brotar Nascentes

Use agroforestry systems in the restoration of riparian forest in small rural properties in Santo Antonio de Jesus, Bahia – Brotar Nascentes Project

MURITIBA, Luana1;

1 Grupo Ambientalista Nascentes, lua_lemos@hotmail.com

Resumo: O desenvolvimento de métodos regenerativos que harmonizem as necessidades econômicas dos pequenos agricultores com a conservação da biodiversidade torna-se fundamental para reverter os impactos da agricultura convencional. Ossistemas agroflorestais, que conciliam conservação e produção agrícola, tornam-seuma importante ferramenta para restauração de áreas de agricultura familiar. Paraas famílias que se estabilizaram em Santo Antonio de Jesus, local de estudo destetrabalho, os rios eram tomados como fonte vital, garantia de alimentação e águapara beber. As formações vegetais originais localizadas nas margens de rios e nascentes, denominadas matas ciliares, desempenham importante função ambiental. O Projeto Brotar Nascentes iniciou a restauração de 20 hectares de mata cilar atravésda implantação de sistemas agroflorestais associado a ações de sensibilização ambiental envolvendo três comunidades rurais.

Palavras -Chave: agrofloresta, agricultura familiar, biodiversidade, recuperação denascentes

Abstract: The development of regenerative methods that can equilibrate theeconomics needs from small agriculturist and the conservation of biodiversity isessential to revert the impacts caused by conventional agriculture.The agroforestrysystem conciliates conservation and production becoming an important tool in therenovation of familiar agriculture areas. To the families that live in Santo Antonio deJesus, the rivers are considered a vital source, a guarantee for the growing of foodand potable water to live. They would, then, inhabit the rivers proximity and use itsshore, where the earth is wet, to plant. The original vegetation located in the shore ofrivers and springs are called riparian forest and have a necessary role in theenvironment. The project “Brotar Nascente” began the restoration of 20 hectares ofriparian forest through the implantation of agroforestry system associated to actionsof environment education involving three rural communities.

“Key Words: agroforestry; familiar agriculture; biodiversity; recovery of springs

Introdução

As formações vegetais localizadas nas margens de rios e nascentes, denominadasmatas ciliares, desempenham importante função ambiental, mais notadamente naregularização do regime hídrico e manutenção da qualidade da água, estabilidadedos solos e das áreas marginais, corredores para o movimento da fauna, assimcomo para a dispersão vegetal e manutenção do ecossistema aquático(ALVARENGA et al, 2006). Apesar de sua importância ambiental e, mesmo sendoáreas de preservação permanente protegida por legislação (Código Florestal- Lei no4.771/65), as matas ciliares continuam sendo removidas em várias partes do Brasil.A resolução n° 369 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), de marçode 2006, que possibilita a intervenção de baixo impacto ambiental de vegetação em APP, com fins de interesse social (Art.10), constitui um grande avanço, poispossibilita novas alternativas para os produtores que sobrevivem da agriculturafamiliar além da cessão de suas pequenas propriedades para ocupação exclusivapor matas ciliares com espécimes nativas.

O Projeto Brotar Nascentes tem como objetivo a restauração e conservação dasnascentes do rio Da Dona e Taitinga através do envolvimento comunitário, comoferramenta para a conservação das águas da Bacia do Recôncavo Sul, Bahia. Paraas famílias que se estabilizaram em Santo Antonio de Jesus, local de estudo destetrabalho, os rios eram tomados como fonte vital, garantia de alimentação e águapara beber. Dessa forma, instalavam-se em suas proximidades e utilizavam suasmargens para cultivo, onde o solo é mais úmido. O crescimento das famílias deagricultores associado ao apelo do mercado para alguns produtos já cultivados naregião em pequena escala, estimulou a ampliação de áreas para a produção dealimentos, bem como o surgimento de áreas destinadas às lavouras de monocultura,a exemplo da mandioca e citros, o que culminou em mais supressão da vegetaçãocom a apropriação de técnicas para aumento da produtividade da terra.

Os pequenos agricultores, muitas vezes motivados pela alta produção dos métodosagrícolas convencionais, abandonam o cultivo tradicional, comprometendo oequilíbrio dos ambientes naturais, a diversidade biológica associada e a saúde dosolo. (LUTZENBERGER, 2002). Como meio de reverter os impactos conseqüentesda agricultura convencional e de resgatar o conhecimento tradicional de cultivo, aaplicação de métodos regenerativos que harmonizem os interesses e necessidadeseconômicas dos agricultores com a conservação da biodiversidade e dos recursosnaturais torna-se fundamental (SANTILLI, 2009).  O Sistema Agroflorestal (SAF) éuma destas formas de manejo e uso da terra no qual podemos combinar espéciesarbóreas frutíferas e/ou madeireiras com cultivos agrícolas e/ou criação de animais,de forma simultânea ou não, e que promovam benefícios econômicos e ecológicos.O SAF é uma prática antiga entre comunidades tradicionais, porém nomeada econceituada recentemente. O uso de árvores nos sistemas agrícolas apresentaalgumas vantagens como: redução da insolação direta sobre o solo; redução doimpacto direto das gotas de chuva, com a conseqüente redução da compactação,erosão e aumento da filtração; captura de nutrientes de camadas profundas do solo e bombeamento para a superfície; redução do efeito erosivo do vento; promoção damatéria orgânica no solo; adição de nitrogênio por fixação biológica; promoção dabiodiversidade (AMADOR, 1999). Assim, diante deste contexto, o sistema agroflorestal que concilia restauração, conservação e produção agrícola, torna-seuma importante ferramenta para restauração de áreas de agricultura familiar.

Metodologia

O projeto Brotar Nascentes está sendo executado em uma área rural de aproximadamente 162km2, inserida em sua totalidade no bioma da Mata Atlântica localizadano município de Santo Antonio de Jesus, Estado da Bahia, constituindo a bacia hidrográfica do Rio Jaguaripe. O processo foi construído junto aos agricultores, atra-vés de uma parceria com as associações de três comunidades rurais (Sapucaia,Boa Vista e Vila Bonfim).

Assim, após uma reunião nas três comunidades para apresentação do projeto, foirealizada uma visita a cada propriedade e às nascentes para elaboração do planoestratégico de restauração da mata ciliar. As informações sobre o histórico do local,uso e ocupação do solo e das águas pelas famílias envolvidas, foram obtidasdurante entrevistas orientadas por um questionário semi estruturado. Durante essasentrevistas, foi selecionada a área de intervenção bem como as espécies que fariamparte do sistema de plantio. Para a seleção das espécies considerou-se a afinidade,experiência e interesse econômico dos agricultores a elas associado.  A área escolhida pelo produtor para a recuperação foi georeferenciada com GPS (GlobalPosition System) e foram coletadas amostras de solo e água para análise e posteriormonitoramento após o plantio.

Concomitante ao processo de reconhecimento de área e de parceiros, iniciou-seatividades de sensibilização ambiental com oficinas de capacitação paramultiplicadores de educação ambiental onde participaram professores, líderescomunitários, agricultores e alunos das três comunidades.

Além da participação nas oficinas os alunos visitaram, junto aos facilitadores eprofessores, duas nascentes em diferentes estados de conservação para analise decomparação visual da água, vegetação e clima desses locais.

Resultados e discussão

Identificou-se uma degradação avançada em todas as nascentes nas 30 áreas visitadas para elaboração do plano de restauração. A conservação de áreas de capoeira (fragmentos de mata) era habito dos agricultores mais antigos, porém, com ocrescimento da família o uso indevido e exploratório do solo intensificou-se, tornandomuitas áreas inadequadas para plantio. Como conseqüência dessa degradação, ascapoeiras que eram mantidas, também foram sendo ocupados por lavouras. Apenas12 entrevistados possuem alguma área de capoeira rala na propriedade, sendo quenenhuma delas é fragmento original.

Foi constatado que 100% dos agricultores utilizam fertilizante químico e 50% utilizamou já utilizaram herbicidas ou pesticidas para controle das chamadas “ervas daninhas” e “pragas”. Com a chuva, esses agrotóxicos vão parar nos lençóis freáticos erios que abastecem as comunidades do entorno. Pelo depoimento dos agricultoreso uso de herbicida torna viável o manejo das lavouras, pois a mão de obra é escassa pela evasão dos jovens para os grandes centros.

A introdução de frutíferas exóticas com perspectiva de renda possibilitou a ades’aodos produtores à restauração de suas áreas. A partir das visitas as nascentes e àcasa dos agricultores, foi elaborado um projeto para cada propriedade, ajustado e legitimado pelas famílias durante os encontros. Alguns agricultores, que tinham propriedades maiores destinaram a área do plantio para espécies nativas de mata atlântica apenas. Foram utilizadas 49 espécies sendo considerado 20% de diversidade(secundárias tardias e primárias) e 80% de preenchimento (pioneiras e secundáriasiniciais) (RODRIGUES, et al. 2009). O espaçamento entre as mudas foi de 3,0 x2,0m porém, nas áreas com vegetação secundaria inicial, fez-se um enriquecimentocom espécies consideradas de diversidade com espaçamento de 5,0 x 5,0m. Naspropriedades que optaram por trabalhar com SAF´s, as espécies pioneiras foramcompostas por mudas frutíferas escolhidas pelo produtor. As frutíferas selecionadasforam: cacau, cupuaçu, graviola, açaí, saputi, ingá, cajá, jenipapo, jabuticaba, pitanga e abiu, sendo o cacau (Theobroma cacao) a espécie mais escolhida pelo valoragregado às suas amêndoas. A adubação utilizada foi o esterco bovino, sendo 3 litros por muda (MARTINS, 2007).

Foi realizado o plantio de 10.800 mudas em 13 nascentes e 2 leitos de riacho do rio Da Dona na comunidade da Sapucaia e 18.589 mudas em 6 nascentes e 9 leitos deriacho no rio Taitinga nas comunidades Vila Bonfim e Boa vista, totalizando 29.383 mudas em 20 hectares.

Foi colocada dificuldade pelos produtores em monitorar as mudas já plantadas eocorreu a desistência de alguns agricultores. Sugere-se portanto, que a sensibiliza-ção seja realizada antes do cadastramento das propriedades, e enriquecida com oficinas práticas de plantio, para que a adesão seja mais efetiva.

Agradecimentos

Grupo Ambientalista Nascentes – GANA; Programa Petrobrás Ambiental; Associçãode moradores da Sapucaia; Associação de moradores da Vila Bonfim; Associaçãode moradores da Boa Vista.

Bibliografia Citada

ALVARENGA, A. P.; BOTELHO, S. A.; PEREIRA, I. M. Avaliação da regeneraçãonatural na recomposição de matas ciliares em nascentes na região sul de MinasGerais. Cerne. V. 12, n. 4, pag. 360-372, 2006AMADOR, D. B. Recuperação de um fragmento florestal com sistemasagroflorestais. Piracicaba, 1999. Tese (mestrado) – Escola Superior de AgriculturaLuiz de Queiroz, Universidade de São Paulo. 114 p.FREIRE, Paulo. Conscientização: Teoria e prática da libertação, uma introduçãoao pensamento de Paulo Freire. 3nd edição São Paulo:Moraes, 1980.LUTZENBERGER José  A.  O Absurdo da Agricultura moderna  Porto  Alegre2002.  Brasil,  setembro de  2001.  MARTINS, S. V. Recuperação de Matas Ciliares. 2ª edição. Minas Gerais. 2007.255p.SANTILLI, Juliana. Agrobiodiversidade e direitos dos agricultores. São Paulo:Peirópolis, 2009RODRIGUES, R. R.; BRANCALION, P. H. S.; ISENHAGEM, I. – Pacto pela restauração da mata atlântica: referencial dos conceitos e ações de restauração florestal – São Paulo: LERF/ESALQ: Instituto BioAtlântica, 2009. 256p.VIVAN, J. Agricultura e florestas – princípios de uma interação vital. AS-PTA,Livraria e Editora agropecuária, Rio de Janeiro. 1998. 207 p.

Fonte:

Utilização de sistemas agroflorestais na restauração de mata ciliar em pequenas propriedades rurais em Santo Antônio de Jesus, Bahia – Projeto Brotar Nascentes

Luana Muritiba

Associação Brasileira de Agroecologia

http://www.aba-agroecologia.org.br/ojs2/index.php/cad/article/view/12518/7744